sábado, 16 de novembro de 2013

Análise de Obras


                                                                                            

Um sistema eficaz para a compreensão de obras de arte foi desenvolvido por Heinrich Wolfflin no princípio do séc. XX. Principalmente para modelos artísticos do Barroco e do Renascimento ,que foram tratados comparativamente pelo autor ,tomando-se por base a pintura e a arquitetura.

Wolfflin estabelece uma tipologia de pares opostos ,que são os seguintes:

Linear-pinturesco ;planar-recessional ;forma fechada/aberta ;multiplicidade de unidades .Esses conceitos também podem ser expressos em pares,como “estático-dinâmico”, ”simétrico-assimétrico” ,e assim por diante .É assim,que nessa perspectiva,o Renascimento aparece associado aos conceitos de linear,planar,forma fechada,multiplicidade,e também ao simétrico e ao equilíbrio.

O modelo Barroco circula pelas idéias opostas:pinturesco,recessional,forma aberta,unidade, assimetria,movimento.

Um dos pares de conceitos propostos por Wolfflin refere-se ao atributo linear,típico da pintura renascentista,em oposição ao pinturesco barroco.

Por linear, entende-se que todas as figuras e formas significativas no interior de uma determinada construção artística são claramente delineadas.Cada elemento sólido apresenta limites bem definidos e claros.

A linearidade pode ser comprovada em grande número de quadros renascentistas,como por exemplo,a obra “A Escola de Atenas”de Rafael.Neste quadro,cada figura ou elemento de arquitetura é bastante claro e passível de ser isolado dos demais.Embora integrados a um conjunto mais amplo que lhes dá sentido,cada figura ou grupo de figuras conserva uma espécie de autonomia.A idéia de Rafael neste mural foi a de homenagear os grandes pensadores da Antiguidade Clássica,e nele aparecem filósofos antigos de tempos diversos.Platão e Aristóteles aparecem destacadamente no centro do quadro,e também estão presentes diversos outros pensadores clássicos como Sócrates,Diógenes,Pitágoras,Epicuro,Ptolomeu e Euclides.

Nas pinturas barrocas,ao contrário podemos aplicar o conceito oposto ao “linear”o “pinturesco”.Tomando de exemplo a obra “Ronda Noturna” de Rembrandt.As figuras não são uniformemente iluminadas e muito menos isoláveis umas das outras.Antes,fundem-se umas às outras.As figuras principais parecem se movimentar diagonalmente,agora para a frente e para a esquerda.

Outro par dicotônico importante na abordagem de Henrich Wolfflin é o planar-recessional.Nas obras renascentistas,tipicamente planares,identifica-se facilmente uma série de planos paralelos que organizam regularmente a profundidade do conjunto de imagens,e nestes planos de composição os vários elementos isolados são distribuídos.Por exemplo,na “Escola de Atenas”um primeiro plano é dado pelos grupos e degraus mais próximos ao observador ;o segundo plano desenvolve-se em torno das figuras centrais de Platão e Aristóteles e estende-se simetricamente por outros grupos de pessoas e objetos,por fim ,o último plano corresponde a arquitetura de fundo que faz o olhar convergir para uma pequena porta aberta para o infinito,perfazendo-se com tudo isto uma organização em três planos paralelos.Estes três planos ,aliás,são bem assinalados pela sequência de arcos e outros elementos da arquitetura.

A forma fechada é típica do Renascimento:todas as figuras incluídas na “Escola de Atenas”estão equilibradas dentro da moldura do quadro,ao mesmo tempo em que a composição se baseia em verticais e horizontais que repetem a forma da moldura e sua função delimitadora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário